Estação Congo

Share

“Na Europa, a cultura está em todos os livros. A cultura na África é transmitida principalmente pela tradição oral, do mais velho para o mais novo. Após a época da colonização e da urbanização dos países, a corrente quebrou. Hoje, precisamos urgentemente de fazer o inventário e de re-energizar nossas culturas para providenciar para as próximas gerações, um património vivo que poderá guiá-los através do labirinto da globalização ” (Ray Lema).

Mestre percussionista, organista, pianista, tecladista clássico e aventureiro musical, Ray Lema coloca em prática sua visão Africana da composição. Hoje, Ray Lema reflete sobre algumas preocupações e sonhos talvez rebeldes. Sua busca eterna sobre as estruturas das músicas africanas é igualada com suas perguntas, suas dúvidas e empenho na luta pela tolerância e respeito pelas pessoas. Este projecto, encomendado pelo Festival “Les Détours de Babel” , lhe deu a oportunidade de redescobrir o Congo de hoje, sua energia, suas lutas e reunir em torno dele artistas tradicionais e artistas da nova geração da música urbana de Kin .

A estréia de “Estação Congo ” foi realizada dia 23 de março de 2012 para a abertura do Festival ” Les Detours de Babel”, no Teatro Nacional Hexagone em Meylan e seguiu no dia seguinte para o Festival ” Banlieues Bleues” no subúrbio de Paris

Ray Lema: piano, composição, voz; Fredy Massamba: vocals, percussão; Viviane Arnoux: acordeão; Irving Acao: piano, saxofone;Tshimanga Mwamba: percussão; Ngalula Cecile: Voz; Tandjolo Yatshi: Lokolé; KM (Kinshasa Estilo Mafia) Pasciphik, 2Boul ‘

Share

Este post também está disponível em : Francês Inglês