Green Light

Share

O título de seu álbum, “Green Light”, cuja tradução literal seria “Luz Verde”, na verdade deve ser entendida como “sinal aberto”, este sinal que simboliza o controle social gerado pelo sistema econômico e político que prevalece no Ocidente.

Ray Lema escolhe falar de  forma epurada  com um piano acústico e voz. Cathy Renoir e Isabel Gonzalez, tecem as harmonias puras e eruditas que eles aprenderam a desenvolver há muitos anos ao lado do Mestre. Aqui e ali, o músico zaïrense So Kalmery sugere alguma cor com um didgeridoo (long tronco tradicional aborígene da  Austrália), cuja respiração se estende por vezes  nas ressonâncias graves do piano: um efeito tão discreto quanto um soberbo. Ray Lema parece significar que é hora de chegar ao ponto essencial. No nosso planeta  é transtornado com a injustiça, é urgente  falar sem subterfúgios, olhos no olhos. Até  sua maneira de tocar o piano vira  resolutamente as costas para qualquer demonstração técnica. É a rejeição radical de um virtuosismo exibido. Mas, na harmonia com no seu domínio absoluto do ritmo, Ray Lema tira as melodías do seu instrumento, às vezes com leveza, às vezes com um pulso profundo, vital – como um coração. E ao largo das faixas, uma transparência luminosa,  oferecendo  sereno uma nudez sem maquiagem .

Fara C (L’Humanité – 9 de abril de 1996)

CD Track List :

  1. GREEN LIGHT
  2. SOMA LOBA
  3. N’ZOLA
  4. MUNGU WA OVYO
  5. NLEMVO
  6. KOTEJA INTRO
  7. KOTEJA
  8. OZALI
  9. REPOS
  10. LATINONS
  11. SIKAVONDA
  12. PERDOU
  13. LISSALISSI
  14. VIRUNGA

Ray Lema: Vocais, piano, percussão ;  Cathy Renoir e Isabel GONZALEZ: Vocais;  So Kalmery: didgeridoo  (3), (8), (13);  Marie-Philomene NGA: backing-vocals em (4)

Todos os títulos são de Ray Lema, exceto: (2)-Manu Dibango; (7) -BOSMEN/Ray LEMA Gravado no Studio Davout (Paris) – Produção: Buda Musique (1996) – ArtWork: Bruno Broussard; Fótos: Anita Gregoire

Share

Este post também está disponível em : Francês Inglês